domingo, 22 de janeiro de 2012

8 de Janeiro - 25º Treino Lunar Especial - Volta à Lagoa de Albufeira


Mais um mega empeno para limpar os restos dos exageros das festas. Depois do fantástico treino lunar de Natal tinhamos que aproveitar para subir um pouco a fasquia neste. Aproveitei para fazer uma coisa que já há uns tempos tinha na ideia. Dar a volta à Lagoa de Albufeira.

Desenhado o circuito a olhômetro no Google Maps, dava ideia de ser uma distância simpática. Não íamos partir da Costa porque eram Km's a mais. Assim o local definido foi a Fonte da Telha. Estacionamento perto da GNR, carros em (relativa) segurança e um bom local para o repasto final. Partida às 7h porque o traçado era desconhecido e poderia haver dificuldades e imprevistos. Sempre por trilhos. O Zé cravou o cunhado para fazer um reabastecimento no parque de estacionamento da Lagoa de Albufeira. Só faltava convocar a tropa, tudo estava preparado e planeado ao milímetro (lol).

Estava um frio de rachar e naquela escuridão ninguém reconhecia ninguém. Quando cheguei já havia uns carros por ali. Só podiam ser dos malucos do costume. Ninguém no seu perfeito juízo, a um Domingo, está a estacionar na Fonte da Telha na berma da estrada às 6h50. Lá nos íamos cumprimentando depois de nos reconhecermos, ou era mais vice-versa. Os carros que faltavam iam chegando. Ainda esperámos mais um pouco por um ou outro companheiro que tínhamos quase a certeza que vinha, mas às tantas o relógio e sobretudo o frio venceram-nos. Era preciso começar a correr.


Não vou fazer um relato exaustivo. Para isso temos o filme. Referir apenas os pontos chave. Saímos ainda de noite, sem frontais, quase não se via onde se punha os pés. O percurso inicial correu tal como imaginei. Sempre por corta fogos enormes, num piso fôfo de areia e tufos de plantas. O dia começou de imediato a clarear. No cimo de um morro o nascer do sol deslumbrou-nos. Só por aquela imagem ficou paga a aventura. Seguimos até à entrada da Quinta da Apostiça e daí até à Lagoa. A Lagoa estava magnífica com uma névoa que levantava à medida que o sol aquecia o dia.


Dali para a frente era terreno não cartografado. Contornámos toda a Lagoa que estava com pouca água o que permitiu encurtar a volta. Tinha pensado ir até quase às casas da Apostiça mas não foi preciso. Já do lado de lá da Lagoa, uma vedação da rede Natura obrigou-nos a dar uma volta enorme. Isso e uma ribeira que corre para a Lagoa. Tivemos de ir até à estrada para voltarmos novamente para a Lagoa.

Novamente junto à Lagoa o pinhal e os trilhos são do melhor que há para correr. Zona um pouco já destruída demais pelo pessoal das moto4's.

No parque o cunhado do Zé lá estava com a mesa do reabastecimento. Água, Bolo Rei, chá de limão quentinho (que maravilha) e umas jolas para rebater. Nem nas melhores provas há disto! Um mimo. Um abraço para ele que nos permitiu recuperar energias. O retorno ao carro foi pelo circuito do costume. Cá por cima pela Arriba a unica diferença é que desta vez, fruto da hora, cruzámo-nos com várias pessoas que faziam o caminho inverso. Eu não vi mas houve quem visse inclusivamente um ser de outro planeta apenas de t-shirt.... que visão agoniante... Ele há com cada anorma. Ainda bem que fui poupado.


No final um repasto reconfortante na mesa de picnic mesmo ao pé dos carros. E estava feito o 25º Treino Lunar. Mais uma memória inesquecível. Um abraço ao amigo Silvino Martins que já muito perto do final meteu um pé mal, num buraco, e empenou-se todo. Rápidas melhoras!


O resto das fotos têm de ver no filme. Escolham HD, Full Screen, SOM NO MÁXIMO e vejam se não foi assim mesmo como vos disse. 


quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

28 de Dezembro - 2ª S. Silvestre Nocturna Pirata de Monsanto

Pelo segundo ano se realizou este treino convívio nocturno em Monsanto. Uma brincadeira, um desafio que surgiu no forum do Mundo da Corrida no ano passado, repetiu-se e cresceu significativamente este ano. Antes de verem o pequeno vídeo que preparei e que dedico a todos os que participaram, umas palavras de agradecimento e de reconhecimento.

Primeiro ao amigo Orlando e família que se empenhou na disponibilização das infra-estruturas antes e depois da festa que fizemos. 

Depois, a todos os que não falham uma, os amigos que vou conhecendo cada vez melhor. São vocês que dão o exemplo. E que belo exemplo.

Por fim aos novos amigos que estão a descobrir o prazer de correr e de superarem desafios cada vez maiores. Foi com muito prazer que convenci meia duzia de novos corredores a participar nesta festa da corrida. Acredito que adoraram a nossa loucura saudável, o nosso espírito e o desafio de irem para monsanto à noite apenas com uma luz na tola e com a forte possibilidade de se perderem. E alguns perderam-se e adoraram a brincadeira. 

Suspeito que estas nossas maluqueiras fazem mais pela corrida e pelo desporto nacional do que muitos dos eventos mais emblemáticos mas totalmente bacocos e desprovidos do verdadeiro espírito da corrida só possível de encontrar num evento espontâneo desta dimensão. Para o ano seremos 400?


As fotos do Orlando estão aqui e as do Paulo Fernandes estão aqui 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

24 de Dezembro - 24 Treino Lunar - Especial de Natal



Desta vez foi o José Santos o culpado. Já tínhamos chegado à conclusão que teria de ser de manhã porque à noite, no dia 24, há outros compromissos. Mas foi ele que se saiu com a ideia de que queria companhia para um treino longo.  E de facto estava mais do que na altura de fazer uns longos para a maratona de Sevilha e para o Trail dos Abutres. De modos que, em vez de irmos ali pela praia no ram ram do costume até à Lagoa em que nem uns vão depressa nem outros vão devagar surgiu-me a ideia de irmos pela arriba e voltarmos pela praia.

Dito e feito. 7 da manhã lá estava no local combinado e ainda éramos 9 malucos. Sabia que haveria mais alguns malucos a irem fazer o do costume marcado para as 8h30. A ideia era encontrarmo-nos todos no regresso por volta da Fonte da Telha. Mas claro que ir por cima demorou um pouco mais e quem fez o das 8h30 e não quis correr tanto depois também não ia estar ali à nossa espera. Só o Luis passou para além da Fonte da Telha em busca dos seus primeiros 20Km's e acabou por se juntar a mim e ao Álvaro no regresso.
Quase todo o povo dispersou um pouco e ficaram uns resistentes à espera. Ainda chegámos e acabámos por arrastar os resistentes para o pequeno almoço no local de trabalho do Paulo, que ele fazia questão e nós também agradecemos. O resto é história e fica o filme para a posteridade. O Treino 24 no dia 24 que era Natal e que ficará na memória de muitos. O próximo também vai ficar. Isso vos garanto....!


Obrigado a todos. Divertimento à grande!

18 de Dezembro - Grande Prémio do Natal

Quase que me escapava esta prova. Aqui no blog e na realidade. Devido a ter sido dada como cancelada, a dada altura do ano, e depois afinal realizou-se, saiu do radar e convenci-me que me tinha inscrito com a Dora. Quando se aproximou a data e começaram a chegar os mails sobre a entrega dos dorsais percebi que não nos 
tinha inscrito. Combinei com a Dora uma corrida na praia mas depois o Luís ia sozinho à prova e acabei por ir mesmo sem dorsal. 

Já na zona da partida o João Cunha ainda me arranjou um dorsal à ultima da hora embora isso fosse irrelevante. Ia correr na mesma e já tenho demasiados panos do pó cor de laranja a dizer sportzone. 

A prova não tem grande história. Fui devagarinho até ao Campo Grande na galhofa com o João Cunha e o Luis mas depois a pouco e pouco fui acelerando um pouco e acabei por acelerar bem. Isto até perto do Campo Pequeno onde encontro o Silvino Martins e fomos na conversa até ao final a falar disto e daquilo.



No final demasiada confusão para receber o tal pano do pó, uma maçã e uma água. Se o Luís não fosse seguramente que não tinha ido. O único interesse destas provas é encontrar alguns amigos e pormos a escrita em dia. De resto é um bocejo andar a correr sempre pelas mesmas avenidas de Lisboa, os broncos dos tugas metidos nos carros a buzinarem, a respirar escape, etc. 

Não sei para que se fazem estas provas no centro de Lisboa. Ninguém aplaude, parece que só incomodamos e irritamos os srs. automobilistas que querem a cidade para tratarem das suas vidinhas, sempre nos seus pópós fumarentos que lhes levam grossas fatias do ordenado, mas que impressionam os amigos e os vizinhos. Não há pachorra.