sexta-feira, 6 de novembro de 2015

As montanhas da minha vida


Bonatti!

Quem já fez o UTMB conhece este nome. É um refúgio de montanha, aos 2000 m com uma vista deslumbrante para as Grandes Jorasses que ficam do outro lado de um vale glaciar. Uma vista de fazer cair os queixos. Conseguimos ficar horas a admirar a imponência da montanha que faz parte do maciço do Monte Branco, cada detalhe, a imaginar como seria estar ali do outro lado. Parece tão perto, tão acessível. Ninguém diria que o topo está aos 4000 m, tal é a sensação de estar logo ali. É a dimensão da coisa que engana o nosso cérebro. Ao abarcarmos uma imagem tão grande que ocupa todo o nosso campo de visão o cérebro entra no modo "pfff, isto é tranquilo, subia por ali, ali deslizava até acolá..."

Bonatti, o nome fica instantaneamente no ouvido. Talvez por isso a Salomon tenha dado esse nome ao seu impermeável ultra leve. Imaginamos que o Bonatti foi um tipo, claro, um gajo que devia gostar das montanhas, ou da vista daquele sítio, para ter um refúgio com o nome dele ali. 


Gosto das coincidências que me levam a adquirir conhecimento que de outro modo me passaria ao lado. Afinal há tanta coisa para descobrir. A razão porque de repente descobrimos coisas novas está longe de ser um processo metódico. Pelo menos para mim. 

Tudo começou pelo nosso Tour do Mont Blanc no sentido contrário à prova. Primeiro consegui convencer o Trindade a não ficarmos em Courmayeur. Faríamos o Tour de abrigo em abrigo. Em vez de Courmayeur subíamos mais 1000 metros e ficávamos no refugio Bertonne. Quando foi preciso alterar o sentido da nossa volta já não fazia sentido ficar no Bertonne e escolhemos o Bonatti. Até porque eles foram muito mais simpáticos e prestáveis na hora de reservar. Conhecia o refúgio de ter parado ali no abastecimento em 2013, durante o UTMB.

A noite que passámos no refúgio Bonatti foi fantástica. Boa comida, instalações 5 estrelas, simpatia e profissionalismo. Imensas fotos do Bonatti nas paredes, muita informação. Deu para perceber que o Bonatti tinha sido um alpinista excepcional, old school, anos 50, 60. Um grande explorador também. 

O Bonatti voltou a surgir em Chamonix, numa livraria nas mãos do Trindade. Um exemplar em francês. "Montagnes de ma vie". Perguntei-lhe se conhecia a história dele, se valeria a pena levar o livro. A resposta foi a que mereci ouvir: "Epá o tipo tem um refúgio na montanha com o nome dele. Não há um refúgio Paulo Pires. Se calhar deve ter feita algumas coisas interessantes!"
Tunga. Já foste! Mas a vingança serve-se fria... "Vais levar?" perguntei. "Em francês não dá".
"Dá cá então" :)
Pimba! 7 anos de Alliance Française. Incha agora.

E foi assim que em retrospectiva acabei por conhecer o Walter Bonatti. Um alpinista excepcional, um homem que buscava os limites de forma incessante, muito à frente do seu tempo, mas acima de tudo com a sua ética e com uma coisa que se vê tão pouco e cada vez menos hoje em dia: uma integridade de valores e princípios inabalável. Quanto mais leio e pesquiso sobre quem foi Walter Bonatti mais fascinante é conhecer a vida deste homem que fez do Monte Branco a sua escola de vida. 

Não percebo nada de alpinismo, e mesmo depois de ler o seu livro pouco ou nada sei. O livro conta algumas das mais extremas escaladas que ele fez, muitas das quais ficaram míticas. É difícil para um leigo compreender como nos anos 50 alguém escalava aquelas montanhas com recurso a equipamento do mais básico que existia e em condições extremas de frio e debaixo de gigantescas tempestades, com temperaturas da ordem dos -30ºC. Algumas escaladas foram trágicas. Outras estiveram a um passo de o ser. 

Mas é sobretudo de superação e de ultrapassarmos os nossos limites na busca de conquistas que só o próprio compreende totalmente, que o livro fala. E nesse sentido é uma lição de vida, muitas lições de vida. Não que esteja escrito nesse registo. Longe disso.

Gostei muito de conhecer o senhor Bonatti e as suas montanhas. Uma outra perspectiva de um dos locais mais bonitos que conheço. Acho que não existe traduzido em português mas se pelo menos se sentem à vontade com o inglês, be my guests!


Deixo-vos 2 excelentes reportagens onde podem conhecer um pouco da vida de Walter Bonatti





Sem comentários:

Publicar um comentário