segunda-feira, 24 de maio de 2010

23 de Maio - Meia Maratona dos Palácios

E não há 2 sem três lá diz o ditado. E não houve. Esta foi a 3ª meia maratona seguida que tinha planeado. Safa! Quando planeei a coisa não me pareceu tão desgastante. Mas foi.
Digamos que o plano de treinos inexistente também ajudou à dificuldade da festa. Constrangimentos vários também com muita coisa a acontecer e a prejudicar os poucos dias de treino e à medida que as meias se sucediam sem preparação já não sabia se havia de descansar e poupar-me para as provas e sofrer durante as provas devido a treinar pouco, se havia de tentar treinar e depois sofrer do desgaste de treinar muito e acumular cansaço que iria prejudicar as provas. Claro que na duvida e com várias solicitações ao mesmo tempo a motivação aproveita para descansar também :) 

Mas era preciso cumprir o plano e tinha na ideia que esta meia era muito rápida e sempre a descer... talvez porque o ano passado não fui lá e já me tinha esquecido das complicações. É o que apagamos primeiro, as partes más, não é?

O Luis lá se baldou à 3ª e marcaram presença em Queluz o Sérgio e o Nuno, gente que gosta mais de rodas e de pedais mas que vai complementando os treinos com umas meias distâncias para desentorpecer as pernas. 

Lá fomos no comboio para Sintra. Nem fomos buscar os bilhetes e confiámos na boa fé da CP. Correu bem. Só no dia a seguir soubemos que era preciso ir levantar bilhetes na meta, onde ficaram os carros. No problemo! O Sr. da estação deixou-nos passar. Estava um dia de sol muito bonito. Fresco sem nada daqueles calores terríveis de há 2-3 dias atrás. Já tinha pensado que se estivesse um dia semelhante não me apanhavam lá. Mas não, tal como previsto fresco, no entanto um sol forte num céu limpo. 

A prova foi dura como já referi. Embora o perfil seja marcadamente descendente as fortes subida,s com uma delas pronunciada e com vários Km's (será a de Algueirão?), foram bem sofridas. O traçado até ajuda e é uma meia maratona das mais rápidas que conheço (seguramente a mais rápida mesmo). Mas para mim o dia já estava escrito que ia penar. Prova solitária, aborrecida. A partir do Km 15 é quase sempre a descer até à meta, com alguns troços bastante inclinados. Mas as perninhas já não davam mais e já desesperava pelo fim. Ainda por cima tinha imprimido um ritmo muito forte no início. Transito totalmente cortado durante 90% do percurso que até é agradável. Talvez fosse bom partirmos um pouco mais cedo para usufruir de um sol mais baixo. Nota muito negativa em Queluz para a gestão do transito. Uma coisa é permitirem escoamento de carros nos cruzamentos, para aliviar os broncos que nunca sabem de nada e que só querem é insultar e buzinar. Agora fazer 1 ou 2 Km's com carros a circular no meio dos atletas. É estupidificante!!!! Mais parecia a volta a portugal com carros de apoios entre os ciclistas. Ridículo. A dada altura num cruzamento queixei-me a um polícia se era normal eu correr com um carro à  minha frente e outro atrás de mim. Enfim.
Seguramente um erro da PSP a que a organização é alheia. Alheia não é seguramente à preparação que fez para o calor. Reabastecimentos impecáveis com direito até a reabastecimentos móveis feitos por uma mota com alforges cheios de garrafinhas que volta na volta aparecia ao pé de mim. Que delicia, tanta água à descrição. Excelente.

E a meta lá surgiu e com ela 1h40m. Embora sejam menos 4 minutos do que em 2008 reconheço que esta prova tem potencial para fazer bem melhor. Mas ao consultar o  histórico do Connect comprovei que foi o meu melhor tempo numa meia maratona. Era previsível. Mas dados os tempos bem piores que tenho vindo a fazer nas ultimas provas e esta tão sofrida já, é óbvio que havia ali espaço para tirar mais 2 minutos pelo menos. Para o ano se lá fôr, trato disso. 

Os resultados oficiais ainda não estão disponíveis mas deverão aparecer aqui.

Sem comentários:

Publicar um comentário