sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

26 de Dezembro - S. Silvestre de Lisboa



Integrada no ciclo da Queima da Azevia lá fomos a mais uma SS de Lisboa. Dia frio mas sem grande vento, o que sempre ajuda um pouco. Este ano havia novidades. No circuito, no local da partida e da chegada. Um fartote. Primeiro o bom: A Dora que andava com uma canelite desde o Grande Prémio do Natal e que estava quase curada lá se resignou a ir a mais esta sabendo que ia agravar a coisa, mas como era a ultima do ano...
O Luís que também andava com o mesmo mal recuperou a tempo e está a começar a tomar o gosto à coisa. Lá fomos todos com as famílias, tudo em romaria.
O menos bom: a Praça do Comércio, o novo local para a partida e chegada, é enorme mas pelos vistos não conseguiram arranjar espaço para definir zonas de partida por tempos dignas. Um pouco incompreensível. Assim tive de partir quase no final daquela gente toda, junto com o pessoal da mini. Não é que houvesse separação da mini, mais uma coisa esperta, mas o pessoal da mini colocava-se preferencialmente no final da fila claro.

Dada a partida naquele formato que ainda não decidi se tem assim grande interesse, de dar um avanço a algumas mulheres (elite) para que os homens (elite) tentem apanhá-las (não deve ter porque para o ano já não há), lá tentei ir. Cedo percebi que não estava com pachorra para ultrapassar tanta gente, até porque era muito complicado e deixei-me ir naquele ritmo calmo. Após tantos dias de má vida a máquina também não estava a funcionar lá muito bem portanto era melhor não puxar muito por ela.

É um espectáculo muito bonito tanta gente a correr na baixa. Os zombies que estão a assistir é que mal se mexem. Aqui e ali alguma vida, alguém bate palmas e incentiva. Muitos são espanhóis obviamente. Uma pena as pessoas não participarem na festa. Somos assim não há nada a fazer. Macambúzios.

Este circuito tem uma 1ª volta pequena, pelos Restauradores e depois de ir ao Cais do Sodré voltamos a passar pelo Rossio para ir ao Marquês de Pombal e descer até á meta. Só não gostei da passagem pela zona das obras, antes de chegar à Praça do Comércio, muito acidentada e sem qualquer iluminação. Agradeço a um dos patrocinadores oficiais, a CML, pela grande colaboração neste aspecto. Acho que só comecei a aquecer verdadeiramente com a subida ao Marquês. Mais um aspecto ridiculo que não posso deixar de referir, o abastecimento... viste-o? era ali antes da curva, meia duzia de pessoas. A água está cara, deve ter sido para poupar. Porque falham estas coisas tão básicas? Mistérios.



Valeu por ter levado a Dora e o Luís que acharam seguramente mais interessante que eu. Para o ano vão mudar a data desta para dia 31. Se estiver por cá no dia 31 e se for correr (seria uma estreia) prefiro a da Amadora. Haja muita oferta que isso é que é preciso.

Sem comentários:

Publicar um comentário