segunda-feira, 23 de maio de 2011

22 de Maio - Meia Maratona dos Palácios

Espera aí que já venho. Vou só ali apanhar um comboio até Sintra

Mais uma semana, mais uma meia maratona. Esta liga o palácio de Sintra ao palácio de Queluz. As coisas que estes tipo se lembram.

Tinha feito alguns treinos de endurance e estava confiante que a prova ia correr bem. Desta vez ia sozinho. A rotina até nem é muito complexa. Deixar o carro em Queluz, levantar um voucher para a viagem de comboio, apanhar o comboio até Sintra e depois voltar a correr para Queluz. Coisa pouca.  De véspera apercebi-me que não tinha nenhum gel em casa para tomar durante a prova. Que chatice. Vai ter de ser a água. Ouch!

A partida da mini (Queluz - Queluz - 5Km)
Saí de casa às 8 e cheguei ao palácio de Queluz às 8h20. Nem o corte de transito da saída directa para o palácio me fez perder muito tempo a dar a volta. Carro no parque e uma pessoa da organização avisa-me que não era preciso voucher para o comboio…. Ok.. eu nem dorsal tinha ainda mas pronto. É verdade que nos outros anos nunca tinha levado dorsal nem sequer voucher. Chegado á estação um segurança zeloso recolhia os números dos dorsais de uma série de companheiros dos run4fun. Fiquei um pouco preocupado porque nem dorsal tinha. Colei-me bem coladinho mas sendo o único de azul no meio de laranjas e pouco dado a passar desapercebido, quando ele abriu a porta para passarmos fui logo catado. Eh Eh Eh… o seu dorsal? Não tenho está com a equipa em Sintra. Então diga-me o seu nome. Ahh!!! Só isso? Lolol Lá segui viagem.

O combio carregado de gente lá seguiu. A viagem ainda é longa, tal como o percurso de volta. Em Sintra o dia estava mais frescote com algumas nuvens a protegerem-nos do sol. Sabia que ia ser de pouca dura. Mal saíssemos dali o astro rei ia fazer sentir a sua voz.

Partimos e segui calmo. Não estava  a pensar fazer a prova a doer. Ainda me falta perder muito peso e voltar a treinar velocidade antes de pensar em melhorar tempos e fazer provas a sério. Mas a pouco e pouco percebi que estava bem. Ia conseguir manter um bom ritmo constante, quase sempre bem abaixo dos 5’/Km.  Ainda me falta correr de forma confortável nos 4’30”, mas lá chegaremos.

O traçado já bem conhecido lá se ia desenrolando. A grande descida logo a seguir a Sintra, a primeira subida do Lourel para aquecer os motores, depois rolar, rolar, até à subida de Algueirão.
Depois de recuperar na descida para a Tala ainda passamos à porta do cozido da Tala. Mas não deu tempo para sentar à mesa. É que ali começa a majestosa subida que nos vai levar ao ponto mais alto da prova a seguir a Mira-Sintra e depois do viaduto por cima da A16. A partir daí inicia-se a longa descida que permite “descansar” um pouco enquanto se navega a uma velocidade razoável. Nessa altura bem me tinha sabido um gel para me ajudar nos últimos Km’s. É que até ao Km 18 ainda se chega com alguma facilidade mas os 3 ultimos já por Queluz ou arredores, foram muito penosos. Já vinha em quebra total.



Não me lembro de ver isto :)
Na meta com 1h42m percebi que não estando minimamente em forma a coisa começa a compor-se. Em 2010 fiz 1h40m. Esta meia maratona é de facto muito rápida e eu diria que tenho possibilidades de um dia a vir a fazer em 1h38 ou mesmo um pouco menos. Fica para outros anos.

Na meta a crise faz-se sentir. Uma sweat shirt de bom material, uma medalha, uma água e põe-te a andar. Queres mais água? Enche na fonte. Fraquito, mas pelo menos o que foi dado era bom material.

Hei-de voltar para resolver esta questão do tempo…

Sem comentários:

Publicar um comentário