terça-feira, 13 de setembro de 2011

3 de Setembro - Trail Nocturno das Lebres do Sado




Depois de uma semana de treinos aproximava-se um fim de semana exigente. Estava a planear 2 provas. Uma nocturna no Sábado e umas horas depois a corrida da festa do Avante.

Sendo assim Sábado ao final da tarde lá arrancámos para Palmela. Juntamente com o Luís o plano era deixar as famílias na Feira das Vindimas enquanto íamos fazer os 15Km do Trail Nocturno. Estava curioso de conhecer este trail. Embora a Dina tivesse garantido que o percurso era simpático sem grandes dificuldades… nunca fiando no Paulo Mota…. 
Bela moldura de amigos, embora com o escuro não fosse fácil reconhecer toda a gente lá nos íamos identificando. Muita gente conhecida ocorreu à chamada nocturna das Lebres. Estava montado o arraial para uma bela noite de convívio.

Vamos a ele que se faz tarde
O percurso é muito interessante. Piso sem grandes dificuldades na 1ª parte do percurso. Grandes estradões de terra batida. Descidas pronunciadas a fazer adivinhar o oposto…. que obviamente surgiu. Em trilhos mais apertados e pelo meio de muitas árvores lá iniciámos a subida. E que bela subida. E subimos até podermos desfrutar de uma magnífica vista nocturna de Setúbal e do estuário do Sado com Tróia a reluzir ao longe.

Nessa zona não se podia ver a vista com muita atenção porque seguíamos num trilho estreito mesmo à beirinha do monte.

Cabeça de pirilampo
Desde o reabastecimento que o meu companheiro Álvaro se tinha colado a mim. Seguíamos juntos à conversa e numa zona de subida com muita pedra semi enterrada, quando devia ir com mais atenção ao chão do que à conversa, prendi o pé numa pedra e a queda foi inevitável. Por sorte enrolei e rebolei sobre o braço, pelo que além de um braço dorido e uns arranhões num joelho não ficaram outras marcas físicas. Refeito da pancada e avaliado no local se não havia nada de mais grave à vista, seguimos a correr.
A magnífica vista da baía de Setúbal

Para recordar a escalada de 300 metros quase na vertical que tivemos de fazer monte acima. No alto o Paulo Mota gozava o prato e perguntava se estava tudo bem marcado. E estava sim senhor. As marcações reflectoras que usaram eram excelentes e nunca tivemos dúvidas quando ao caminho a seguir.

No final uma mesa cheia de coisas boas para repor os níveis. Um resto dos figos excelentes, que já tinham sido oferecidos no abastecimento a meio do percurso, melancia e muito mais. Consegui tomar um banho de mangueira que soube muito bem, dado que a fila para o balneário era grande demais.

À nossa espera estava ainda um belo caldo verde, pão com chouriço e bebidas. Enquanto comíamos decorreu a cerimónia de entrega dos prémios. Tudo feito de forma eficaz. Para mim não foi novidade porque já conheço a dedicação, o nível e a qualidade que as Lebres do Sado têm nas suas provas. É sempre um enorme prazer participar em qualquer evento organizado por eles. Foi excelente este 1º Trail Nocturno. Espero que as Lebres também tenham achado o mesmo porque eu quero ir a mais, no mínimo para o ano ao 2º. Claro que antes disso nos vamos encontrar para o Grande Prémio da Arrábida, algures em Novembro.

Infelizmente tínhamos as famílias na feira e não pudemos ficar para mais convívio no final, por isso às tantas tivemos de sair de fininho. Foi só subir para Palmela apanhar a família na rotunda e regressar ao lar. Sem desvios porque no dia a seguir os camaradas esperavam por nós no Avante para mais 11Km.

Obrigado Lebres. Até já.

Sem comentários:

Publicar um comentário